No dia 26 de novembro aconteceu a cerimônia de premiação do 29º Prêmio Design do Museu da Casa Brasileira, que levou 7 de nossos colegas à alegria de serem convocados e premiados.
A aluna Fernanda Couto Anjos, orientada pelo professor Marcelo Massaharu, recebeu menção honrosa na categoria de iluminação, na modalidade protótipo, com a sua “Luminária Arco”.

Os ex-alunos Bruno Paciello e Diogo Luz (que trabalha no Laboratório de Produto da PUC), receberam, na categoria mobiliário, modalidade protótipo, menção honrosa pela Espreguiçadeira Adapta da D3design.

O professor Eduardo Pucu foi finalista na categoria de trabalhos escritos publicados com “Pesquisa Criativa” e a professora Irina Aragão teve menção honrosa na categoria de trabalhos escritos não publicados com “Tramas de Afeto e saudade: em busca de uma biografia dos objetos e práticas vitorianos no Brasil oitocentista.”

O professor Alfredo Jefferson orientou o trabalho de Chiara Del Gaudio, de Porto Alegre, “Design participativo e inovação social: a influência dos fatores contextuais”, que teve a colocação de 2º lugar na categoria de trabalhos inscritos não publicados.
cartazanacostamcb

O cartaz selecionado, premiado em 1º lugar e adotado como programação visual desta edição do concurso foi desenvolvido por Ana Costa, ex-aluna da PUC-Rio.

Mais sobre o cartaz

O Prêmio deste ano referente aos trabalhos escritos reconheceu a importância da memória e do documento histórico em obras que refletem também sobre a prática e pesquisa em design. Como Priscila Lena Farias – Coordenadora do Júri de Trabalhos Escritos – ressalta, dentre as obras selecionadas estão “obras consagradas […] e outras que colocam novas e inquietantes questões para o campo do design”.

É o caso da obra finalista de Eduardo Pucu, que apresenta uma metodologia de pesquisa orientada para projetos criativos. Já a obra de Irina Aragão, possui cunho histórico e discute valores socialmente construídos a partir da análise de objetos no Brasil oitocentista.

Os critérios de avaliação dos produtos e protótipos no Prêmio consideraram originalidade, inovação tecnológica, concepção formal, universalidade e sustentabilidade. A “Espreguiçadeira Adapta” de Diogo e Bruno permite a regulagem do encosto e do assento via um sistema giratório que ajusta a superfície da cadeira regulando-a ao corpo do usuário. A “Luminária Arco” de Fernanda Couto Anjos se apropria da geometria euclidiana em sua construção lúdica e decorativa.

Bruno Paciello e Diogo Luz | Foto Érika de Faria
Bruno Paciello e Diogo Luz | Foto Érika de Faria

MCB-7-copy2

É com imensa alegria que parabenizamos esses queridos integrantes que colaboram com o ensino e aprendizado dentro da academia e convidamos a todos para a exposição dos produtos e publicações premiados e finalistas no MCB entre os dias 26 de novembro de 2015 e 31 de janeiro de 2016.

Algumas fotos foram retiradas do catálogo da exposição e outras (do dia da premiação) compartilhadas pela fotógrafa Érika de Faria.

Mais sobre o 29º Prêmio Museu da Casa Brasileira