O projeto Nucleário, do ex-aluno Bruno Rutman Pagnoncelli, é finalista do Desafio Ambiental do WWF-Brasil. O projeto foi orientado pelo professor Augusto Seibel e já foi premiado em prestigiados prêmios de design como: BraunPrize, IdeaBrasil, International Design Excellence Awards, Red Dot Awards e GreenDot.

Nascido a partir de um desejo de reflorestar o Brasil e contribuir para a regeneração das florestas destruídas, o projeto propõe uma solução inovadora para o reflorestamento de áreas de uso intenso da monocultura e de pastagem para gado.

O ponto mais crítico no processo é a dependência de grande quantidade de mão de obra em todas as suas fases, desde o próprio plantio de mudas, mas principalmente em toda a manutenção e cuidados pós-plantio até que a árvore plantada tenha condições de sobreviver por conta própria. E é nesse ponto que o projeto se destaca, propondo uma solução inovadora, inspirada em diversas soluções apresentadas pela própria natureza, voltada para a operação de grande escala, e condizente com a gravidade do problema em questão.

A proposta se direciona para a dispersão aérea e o sistema autônomo projetado fornece as condições necessárias para que um grupo de sementes consiga enraizar e, em conjunto, sobreviver até atingirem a maturidade, sem a necessidade de manutenção humana pós-plantio para cada muda plantada.

O Desafio Ambiental: inovações e empreendedorismo em restauração florestal do WWF-Brasil é uma ação que busca identificar e fortalecer experiências inovadoras e modelos de negócio e de produção que promovam a restauração florestal em quatro biomas brasileiros: Cerrado, Caatinga, Mata Atlântica e Amazônia. Neste momento, os projetos dos finalistas estão disponíveis para votação popular.